Entre as diversas possibilidades do maravilhoso universo do prazer sexual, qual é o sex toy mais popular no mundo? Quais seriam as posições e preferências sexuais em cada país?

Para responder esta e outras questões sobre sexo, o Wethrift –  um site de compras coletivas com 3, 2 milhões de visitantes mensais – fez uma análise dos dados de pesquisa e tendências do Google nos 30 países com o maior PIB.

O estudo revelou que o plug anal e o anel peniano estão superando os populares vibradores em todo o mundo. Doze dos 30 países pesquisados preferem usar o plug anal, enquanto 11 dos 30 países optam pelo anel peniano.

Hoje, estes dois sex toys juntos representam a preferência em quase 85% dos países pesquisados.  Entusiastas do anel peniano concentram-se principalmente no Brasil, França e Cingapura, enquanto que fãs do plug anal são maioria na Alemanha, Índia e Polônia.

Em contrapartida, a Romênia é o único país do estudo onde a cinta peniana é o sex toy mais popular.

Por fim, outros sex toys populares no mundo incluem a bomba peniana na África do Sul, que foi inicialmente projetada para ajudar homens que sofrem de disfunção erétil. Enquanto isso, em Hong Kong, o sex toy mais popular é a calcinha vibratória, comercializada principalmente para mulheres.

Qual é a posição sexual mais popular em cada país?

Os dados obtidos pelo Wethrift revelaram que em qualquer lugar do planeta, parceiros e parceiras tendem a preferir posições em que receptor/receptora fica por cima durante a relação sexual. Oficialmente, a posição mais popular do mundo é a Reverse Cowgirl  (giro na tradicional Cowgirl, em que a mulher fica por cima porém voltada para os pés de quem está deitado embaixo). É a preferida entre habitantes da Espanha, Argentina, Holanda e Hong Kong.

As posições de sexo oral simultâneo – a tradicional “69” e sua variante “69 em pé”-, também são muito apreciadas pelo mundo afora. O tradicional “69” é muuito popular na França, Alemanha e Itália. Já a “69 em pé” é a posição preferida na Índia, terra do famoso Kama Sutra.

Contudo, no Reino Unido e na Indonésia, a posição Pretzel é a mais popular. Esta posição é considerada uma das posições mais íntimas, proporcionando uma penetração profunda, enquanto permite que os parceiros se envolvam em contato visual. Basicamente, a posição Pretzel requer que a pessoa a ser penetrada deite-se de lado. Já a pessoa que fará a penetração deve segurar a perna superior do (a) parceiro (a) e depois a perna inferior e então iniciar a penetração.

Na África do Sul, a posição preferida é o Carrinho de Mão – quem recebe apóia-se sobre os braços e quem penetra fica em pé e segura as pernas de quem recebe ao lado do corpo, fazendo a penetração por trás.

Quem tem mais curiosidade sobre sexo?

Nos 30 países pesquisados, o Wethrift levantou o número de buscas no Google pelos termos sexuais mais populares relacionados a pornografia, fetiches e saúde sexual.

Nesse quesito, os EUA vem em primeiro lugar: a cada mês, internautas que correspondem a 16,57% da população americana fazem buscas por termos sexuais.

Atrás dos EUA está a Nova Zelândia, com 12,36%  da população investigando online sobre sexo a cada mês. A Nova Zelândia tem uma população muito menor em comparação com outros países incluídos no estudo, mas o país prova que o tamanho nem sempre importa e suas 596.010 buscas de sexo online por mês ainda são suficientes para colocá-la em segundo lugar.

A terceira maior taxa de curiosidade sexual do mundo ficou com a Irlanda. Pouco mais de11% da população irlandesa se entrega a pesquisas sexuais por mês, resultando em 570.800 acessos online.

Segundo o estudo, a Escandinávia é a região mais sexualmente curiosa do mundo, com quatro nações escandinavas surgindo entre os dez primeiros colocados. A classificação mais alta é a da Finlândia, em quarto lugar, com 629.430 pesquisas, ou seja,  11,36% da população pesquisando por mês. A Dinamarca terminou em quinto lugar com uma taxa de curiosidade sexual de 11,30%. Já a Noruega e Suécia ficaram em sétimo e nono lugares, respectivamente, com índices de curiosidade sexual de 10,47% e 9,26%.

Enquanto isso, o Reino Unido chegou em décimo lugar com quase 600 mil pesquisas online indicando que 8,82% da população britânica é sexualmente curiosa.

As perguntas sobre sexo mais frequentes no Google

Embora a maioria das pessoas não goste de admitir, todos nós temos alguma dúvida ou pergunta a fazer sobre sexo.

O estudo revelou que a pergunta mais frequente sobre sexo é “Como fazer o squirting?” São 84.000 pesquisas por mês, o que é mais que o triplo do número da segunda pergunta mais frequente sobre sexo, sugerindo que a ejaculação feminina ainda é desconhecida.

Bem abaixo neste ranking, a segunda pergunta mais comum é “Como aumentar o desejo sexual”. Nos 30 paises pesquisados, essa pergunta é feita aproximadamente 25 mil vezes por mês. Perda de libido ou baixos índices de desejo sexual atingem homens e mulheres, que podem estar sendo afetados por fatores internos ( níveis hormonais, estresse, ansiedade, tabus sociais e religiosos) e por fatores externos (carga horária de trabalho, poluição sonora, dificuldade em encontrar um ambiente adequado). Em termos de saúde física, não chega a ser um problema grave, mas certamente afeta a autoestima e acaba prejudicando relacionamentos.

Na sequência, as questões frequentes ao redor do planeta são: “Por que dói quando faço sexo?” (13.000 buscas por mês) e “Por que eu sangro depois do sexo” (11.000 buscas por mês).

Dessa forma, a quantidade de perguntas sobre prazer e saúde sexual revela que, em pleno século XXI, boa parte das pessoas ainda tem pouco conhecimento sobre o tema.