Sexo fora de casa é uma das fantasias mais comuns. Por que? Bem, há várias explicações e bons motivos para isso: quebrar tabus, transgredir as normas de bom comportamento, ou simplesmente, espírito de aventura e desejo de integração com a natureza.

Para uns, fazer sexo fora de casa é experimentar o sexo em todas as suas possibilidades, viver o desejo, fazer uma travessura apimentada enquanto todos estão comportados e mantendo a compostura num jantar, numa festa, num show de rock. Já para outros, o que conta é a aventura, a excitação causada pelo perigo de serem pegas(os). Ou justamente a possibilidade de alguém estar vendo e você ser o objeto de excitação e desejo deste voyeur (o nome técnico disso é exibicionismo).

O erotismo do sexo em público

Nem sempre fazer sexo fora de casa tem a ver com risco, transgressão ou exibicionismo.  A sensação de liberdade por não estar confinado entre quatro paredes ou a integração com a natureza, num cenário deslumbrante no campo ou na praia pode ser muito excitante.

Porém, no mundo real, nem sempre as coisas funcionam exatamente como idealizamos.  Às vezes, o local escolhido pode ser um pouco apertado, ou ter muita gente por perto.  Além disso, levar uma bronca de seguranças ou policiais não é exatamente muito sexy, não é?

Outro exemplo: quando a transa rolar em rio, mar ou piscina, a água e a temperatura podem afetar a lubrificação, problema que pode ser contornado com um bom lubrificante.

Por isso, fizemos uma lista dos melhores locais para fazer sexo fora de casa e damos algumas dicas para contornar imprevistos. Confira. 

1. Durante uma caminhada

Caminhadas apresentam muitas oportunidades.  Uma rede, toalha, esteira podem facilitar muito a acomodação. Se tiver de improvisar, árvores ou pedras grandes podem proporcionar um bom encosto ou apoio na hora da penetração. Sexo oral normalmente exige menos cuidados e preparativos.

Dica importante: tenha sempre à mão roupas fáceis de vestir para o caso de precisar se “recompor” rapidamente.  Repelentes e verificar se existem formigas e abelhas no local pode ser de grande ajuda.

2. Na praia 

Uma praia linda, o som das ondas do mar, o sol dourado do fim de tarde ou a lua e as estrelas… uau! Precisa falar mais? Se a praia for deserta, as opções de horário são maiores, se não for, quanto mais tarde da noite, menos preocupação com interrupções, certo?

Lembre-se: sexo na beira do mar ou em águas rasas só funciona no cinema, o vai-e-vém incessante das ondas não dará o sossego e estabilidade que você precisa. Escolha uma zona intermediária, em que a elevação das ondas que vão se formar podem proporcionar  sustentação, balanço e ritmo que facilitem ou melhorem a performance. Quando houver penetração, a melhor posição é quando, quem penetra fica de frente para o mar (com os pés afastados para dar mais estabilidade) e quem recebe, fica de costas para o mar, com as pernas entrelaçadas nas costas do parceiro.

Dica importante: Além de toalha, esteira e repelente, tenha à mão uma toalha e uma garrafa d´água para se livrar de alguma areia que tenha sobre a pele.

3. Em locais públicos na cidade 

Nesta modalidade, o timing é fundamental! Isto quer dizer que a dupla deve estar sintonizada e em estágio avançado de excitação para que a “rapidinha” não se transforme num longa metragem.

Avalie bem as possibilidades do local, a circulação de outras pessoas. Nada de roupas íntimas lindas, mas difíceis de tirar ou vestir.

Dica importante: se possível, “treine” antes as posições possíveis ou necessárias para sexo nestes locais. Nem todo mundo curte ou se dá bem fazendo sexo em pé ou em recintos apertados. O importante não é fazer isso ou aquilo, o importante é ter prazer.

4. No quintal ou na varanda 

Nem tudo na vida precisa de altas doses de adrenalina ou rolar num cenário grandioso. Uma rede, uma espreguiçadeira, uma piscina num quintal ou varanda, podem ser a combinação perfeita para uma transa inesquecível.

Se a privacidade é importante para você, analise bem quais são os pontos à prova de vizinhos e pedestres. Vivemos a era das redes sociais e talvez ter a intimidade exposta não seja exatamente uma boa ideia.

Vocês não dispõem de uma casa com quintal ou varanda? Então, considere uma escapada de fim de semana em um Airbnb, certificando-se que haja o grau de privacidade que vocês desejam.

Dica importante: nesta modalidade, o tempo está a seu favor. Um bom vinho, luz de velas, preliminares mais longas, e sex toys podem contribuir para sua experiência ficar ainda melhor. E com possibilidade de repetição! 

5. No capô do carro

Esqueça o sexo no banco de trás – bem mais aventureiro é o sexo sobre o carro. O receptor pode colocar as mãos no capô e a outra pessoa usa suas mãos, órgãos genitais ou um sex toy para provocar e brincar. O elemento-chave aqui é onde você estaciona, então opte por um local mais isolado. Estradas secundárias e estacionamentos vazios ou no topo de uma garagem à noite são ótimas opções, afinal você quer uma experiência sexual e não uma estória policial, certo?

Dica importante: Sexo no capô do carro não é a melhor posição no quesito conforto, então tente não se concentrar muito no orgasmo. Em vez disso, concentre-se mais na novidade de tudo e aproveite o “passeio”. E atenção: para não estragar a brincadeira, certifique-se de que o capô não esteja muito quente.

O denominador comum dessas dicas? Liberdade, adrenalina, quebra da rotina, dar vazão a fantasias…Viva experiências, emocionantes e aumente seu repertório. E você? já fez sexo fora de casa? Deixe seu relato nos comentários.