Desde o início da pandemia de coronavírus, a ciência tem se debruçado numa série de questões sobre como ela pode afetar o corpo humano. Uma dessas questões é: a covid-19 pode causar disfunção erétil?

O tema começou a ganhar voz principalmente no final de 2020. Nos Estados Unidos a discussão ganhou corpo por conta de uma publicação científica. Para saber mais, continue lendo.

O que é disfunção erétil

Para entender melhor se a covid-19 pode causar disfunção erétil ou não, primeiro é preciso saber o que é disfunção erétil (ou impotência sexual, como também é chamada).

A princípio, esta é uma condição considerada comum, e que atinge 2 milhões de pessoas por ano somente no Brasil. Basicamente ela acontece quando o homem não consegue ter uma ereção firme o suficiente para praticar o ato sexual.

Saiba que isto pode acontecer por vários motivos. Na verdade, a disfunção erétil vai muito além da covid-19, podendo ter causas físicas ou psicológicas. Veja alguns exemplos:

  • Causas psicológicas: ansiedade, estresse, depressão e distúrbios psicológicos em geral;
  • Causas físicas: doenças hormonais, doenças neurológicas, doenças vasculares, consumo de drogas ou de alguns medicamentos, alcoolismo, tabagismo, fibrose dos corpos cavernosos, entre outros.

Com relação ao tratamento, tudo depende de uma avaliação profissional preliminar. Por que você está tendo um disfunção erétil? Cada motivo leva a uma abordagem diferente por parte do médico especialista.

Por exemplo, digamos que você esteja sofrendo com isso porque está estressado. Então, o auxílio psicológico poderá ser suficiente, ou até mesmo a prescrição, pelo médico, de remédios para o estresse.

No entanto, se você tem uma doença vascular, a solução é completamente diferente. Perceba, portanto, que entender qual a real causa do problema pode ser determinante para achar o tratamento ideal.

Além disso, existem alguns tipos de bombas que também ajudam. Mas tudo depende da avaliação médica.

A covid-19 pode causar disfunção erétil?

Homem em uma máscara de pé no corredor do hospital Foto gratuita

Até aqui você já entendeu o que é impotência sexual. Então, podemos dar um passo à frente. Como estão as discussões para entender se a covid-19 pode causar disfunção erétil?

Toda a polêmica começou no final de 2020. Uma especialista em doenças infecciosas, Dena Grayson, trouxe a hipótese de homens infectados com o coronavírus terem uma taxa maior de impotência.

Segundo a médica, isto ocorreria mesmo após eles se curarem da doença. Após essa hipótese inicial, alguns estudos começaram a ser realizados, justamente para entender se isso tinha ou não algum fundo de verdade.

O principal desses estudos ouviu 3.762 homens, em 56 países. É importante ressaltar que a maioria relatou uma série de problemas sem relação com a sexualidade.

Entre esses sintomas persistentes relatados pelos homens, de fato a disfunção erétil se destacou. Isso porque ela estava presente em cerca de 15% deles. Perceba que, ainda que não seja um número elevado, é considerável. 

Embora os homens do estudo sejam de diversas idades, essa taxa de 15% é superior à da população sem a doença. Estudos epidemiológicos antigos informam que, aos 40 anos, apenas 5% dos homens relatam a impotência. Este número somente deveria subir para 15% após os 70 anos.

Porém, então, por que isso acontece? A causa exata ainda não é conhecida, mas é possível tirar algumas conclusões.

Entre elas está a irrigação sanguínea. É preciso bastante sangue para o pênis ficar rígido. No entanto, o Sars-Cov-2 pode comprometer a circulação, gerando esse problema. 

Além disso, um estudo da USP já havia identificado o coronavírus na região do testículo e do epidídimo. Isso se complementa a outro artigo, publicado na China, que indicava que os níveis de testosterona (hormônio sexual masculino) também poderiam ser afetados.

Outros sintomas da covid-19

Além do fato de a covid-19 poder causar disfunção erétil,  a doença também pode levar a outros problemas. Pesquisas também indicam que, com relação à saúde sexual, há mais alguns fatores importantes.

Saiba, por exemplo, que aproximadamente 14% dos homens relataram a presença de dores na região dos testículos durante ou após a infecção. Além disso, 3% também acreditam que houve diminuição do tamanho do órgão reprodutor.

Complementarmente, outras alterações tanto no pênis quanto no sêmen foram relatadas. Isso pode estar relacionado, por exemplo, com o estudo feito pela USP, citado antes.

O testículo e o epidídimo, que seriam duas áreas afetadas, estão diretamente relacionados com a coleta e o armazenamento de espermatozoides. Assim, se a área é afetada, pode ser que estes fatores também sejam.

Além disso, o testículo é uma área com mais receptores, ficando inclusive à frente do rim. Por isso, seria compreensível a existência desses problemas.

Já entre as mulheres, aparentemente não há tantas alterações na saúde sexual. A principal delas foi vista com relação às questões menstruais.

Coronavírus pode ser transmitido pelo sexo?

Par, branco, cama, hotel, quarto, foco, pés Foto gratuita

Embora não seja exatamente relacionado ao fato de a covid-19 poder causar disfunção erétil, é bom esclarecer uma última dúvida recorrente. Isto porque muitos se perguntam se a covid-19 pode ser transmitida pelo sexo.

Ainda não existem evidências científicas suficientes sobre esse tema. De fato, o coronavírus pode chegar aos testículos, mas não se sabe se isso implicaria em contágio.

De toda forma, os meios de maior transmissão são pela via respiratória e pelo contato físico. Portanto, é importante saber que, no mínimo, o ato sexual aumenta as chances de contágio. Por isso, se cuidar é imprescindível.

E então, sanou suas dúvidas? O que você achou da publicação? Deixe seu comentário e veja mais posts em nosso blog!