O termo “sexting” é a junção das palavras das palavras “sex” e “texting”. Literalmente significa “sexo por mensagens de texto”. Mas atualmente essa troca de conteúdo erótico pessoal é feita por qualquer meio eletrônico e, além de texto, envolve o envio de fotos, vídeos e mensagens de áudio.

Um estudo realizado na Texas Tech University, nos EUA, revelou as três as principais razões para as pessoas usarem o sexting: 1) como preliminar de uma transa que virá mais tarde; 2) sexting como uma garantia de relacionamento; e 3) como um favor ao parceiro, com a expectativa de que o favor seja retribuído depois de maneira não sexual , com um jantar, por exemplo.

Atualmente, podemos acrescentar mais uma razão: o isolamento social a que todos estamos sujeitos. Casais que ficaram separados devido à pandemia do COVID-19 podem usar o sexting para não só manter o relacionamento, como também para evitar que a distância atrapalhe também a intimidade.

Se você ainda não experimentou, seguem algumas dicas para aproveitar bem esse tipo de sedução:

Siga seu ritmo

Sexting deve ser divertido, então deixe de lado as inibições. Se você não é fã de uma conversa erótica e picante direta, vá no seu ritmo. Esse tipo de conversa não precisa necessariamente usar palavrões. Há outras formas de ser sexy. Diga o que você gosta de fazer ou como está se sentindo, por exemplo. O importante é elevar a excitação dos dois.

Teste o terreno

Se o relacionamento ainda é novo, vá testando o terreno. Se houver reciprocidade, aumente a frequência ou a intensidade da conversa. Se vocês estão juntos há bastante tempo, aproveite a intimidade que construíram e arrisque levar a sedução ao próximo nível.

Fale sobre suas fantasias

Sexting não é só sacanagem. Suas palavras e seus áudios (por que não?) podem contar como você deseja ser seduzida, o que quer que seu par faça quando vocês se encontrarem ou o que você deseja fazer.  Na verdade, não há segredos. O importante é se soltar e falar o que vem à mente durante o sexting.

Fique atenta aos detalhes

Quanto mais específicos forem os detalhes sensuais, mais fácil será para seu par visualizar o que você está fantasiando. Você também pode fazer perguntas para saber o que seu par está pensando. De novo, seja específico. As repostas podem ajudar você a desenhar uma imagem mais vívida de suas fantasias e excitar ainda mais sua imaginação.

Emogis sexuais

Várias dessas figurinhas são conhecidas por servirem como insinuações sexuais. Elas são capazes de contextualizar o assunto sem que vocês precisem dizer uma só palavra. Algumas são mais comuns, como a carinha sorrindo com um olhar enigmático (😏), piscando (😉) ou enviando um beijo (😘). Outras já são bem mais sugestivas.  A beringela (🍆) é utilizada para representar o pênis e o pêssego para a bunda (🍑). Já as gotículas de chuva (💦) indicam umidade ou ejaculação. Conhecer o código sexual dos emogis ajuda a manter a conversa discreta quando vocês estiverem sexting em público.

Atenção aos riscos

O sexting existe para nos proporcionar momentos de prazer, mas lembre-se de que assumimos riscos ao compartilhar conteúdo intimo com outras pessoas, como prejuízos à reputação, chantagens ou até mesmo assédio. Isso pode acontecer se houver o vazamento do conteúdo compartilhado. Ao compartilhar uma informação, perdemos o controle sobre áudios, fotos, ou vídeos. Assim, é fundamental praticar o sexting depois de haver sido estabelecida uma relação de confiança. Contudo, ainda assim as pessoas não estão isentas de que o conteúdo possa ser extraído do seu celular sem seu consentimento.

Boas práticas para se proteger

Algumas ações básicas podem evitar que você ou seu par fiquem expostos.

  1. Ao menos uma vez por ano, faça uma limpeza em seu celular e em sua conta do Facebook. Com isso, você elimina aplicativos que não usa mais e que continuam a coletar seus dados sem motivo. O mesmo vale para amigos e contatos na rede social com quem você não fala mais. Eles não precisam ter acesso às suas informações.
  2. Esconda o rosto ou traços particulares que permitam a identificação da pessoa.
  3. Reveja regularmente os aplicativos e o software instalados no seu celular que possam ter algum tipo de código malicioso que roube informações.