Cada corpo tem sua própria personalidade. Alguns se excitam com sussurros na orelha. Outros, com carícias na parte de trás do joelho. Uns gostam de serem tocados direto no ponto, enquanto outros se animam só com rodeios.

Existem pontos de prazer em nosso corpo inteiro. Basta que cada um encontre o que lhe excita mais, e como lhe excita mais ser tocado ali. Algumas áreas têm uma infinidade de fãs clube, claro, como as genitais. Além do clítoris e do pênis, veja outros pontos de estímulo que podem levar as pessoas ao paraíso.

LÁBIOS

Cheios de terminações nervosas – tanto quanto a área genital -, os lábios dão prazer a quase todo mundo. Quando beijamos, 146 músculos de nosso corpo entram em ação. E o beijo leva à produção de ocitocina, o hormônio das conexões amorosas. Não se esqueça, porém, que beijo é subjetivo, cada um gosta de um tipo: longo, curto, profundo ou apenas exploratório.

ORELHAS

Pode bastar um sussurro ao pé do ouvido para eriçar o parceiro/a. Mas vá com calma, evite falar ou gemer alto para não assustar alguns. Toques com os dedos ou até mordidinhas podem ser bem-vindos. Uma lambida sobre o canal auditivo pode levar alguns ao paraíso e fazer com que outros saiam correndo pra nunca mais voltar. Como com tudo em sexo, vá experimentando aos poucos para ver se o parceiro ou a parceira está curtindo.

PESCOÇO

Os arrepios que sentimos quando nos tocam no pescoço ou na nuca têm a ver com mecanismos de defesa primitivos, de quando ainda morávamos em cavernas. Mas o que importa é que ainda ficamos atentos quando isso acontece, e essa atenção pode levar a um tesão gostoso quando percebemos que não estamos sendo ameaçados, mas acariciados.

MAMILOS

Não só as mulheres se derretem de tesão quando são tocadas nos seios. Os homens também curtem carícias nos mamilos. Acredita-se que o estímulo nos seios mexa com a mesma região do cérebro que é ativada quando quem está na brincadeira é o clítoris. Mulheres e homens podem gostar de carícias mais brandas ou até mesmo de mordidinhas e toque mais intensos. Antes de se jogar de cabeça, porém, entenda até onde seu parceiro ou parceira quer chegar. 

PERÍNEO

A área entre o ânus e o saco escrotal pode ser altamente erótica para os homens. Mas é preciso ir com calma, alertam os especialistas, por causa de preconceitos e da falta de intimidade de alguns deles com essa região. Comece com uma leve carícia e se a reação for positiva, seja mais ousado (a) e experimente um plug.

ÂNUS

Muitas pessoas – homens como mulheres – ficam excitadas quando estimuladas no ânus devido à grande quantidade de terminações nervosas existentes ali. Dificilmente, porém, é bom começar a estimular o companheiro ou companheira pelo ânus, assim como acontece com o ponto G ou o períneo. E são preciso alguns cuidados básicos, como aparar as unhas para evitar machucar a outra pessoa se for penetrá-la com os dedos. E lembre-se sempre de usar o lubrificante adequado.

PONTO G

Para muitas, o tal ponto G parece o monstro do lago Ness: ninguém nunca o “viu” ou sentiu de verdade. Mas ele existe e fica na parte da vagina mais “próxima” do umbigo, a 5 ou 7 cm da entrada do canal. É uma zona com grande quantidade de terminações nervosas e por isso com enorme potencial de proporcionar prazer. Para estimulá-la, pode-se usar vibradores próprios para essa região. Ou a parceira ou parceiro pode inserir dois dedos na vagina e fazer um movimento do tipo “vem aqui” para brincar com o ponto G.  

JOELHOS e COXAS

A pele sensível e nenhum pelo tornam a parte de trás de joelho altamente sensível. Carícias com os dedos, os lábios, o cabelo, penas, tudo pode deixar a outra pessoa excitada. O mesmo acontece com a parte interna das coxas. Basta relembrar das inúmeras cenas de filmes onde o casal começa as preliminares com uma mão entre as pernas do outro. E é excitante pensar que dá para fazer isso até debaixo da mesa durante um jantar com a família ou os amigos.

VENTRE

Carícias por ali costumam enlouquecer tanto homens quanto mulheres. Trata-se de uma área sensível, e beijos e carinhos elevam a carga de tesão, ainda mais quando há indícios de que a exploração pode avançar mais para o sul de nosso corpo.   

PÉS

Há quem fique totalmente excitado só de ver uns pés bonitos passarem na sua frente. Objeto de desejo, gostam de acariciá-los, lambê-los, massageá-los. Mas nem todos os proprietários dos pés gostam dessa atenção toda. Portanto, siga a mesma regra: preste atenção para ver se seu companheiro ou companheira curte a brincadeira.

CÉREBRO 

Ah, o cérebro, esse malandro. É ele que, no fundo comanda toda a brincadeira, todo o prazer. É no cérebro que começam os estímulos sexuais. É o cérebro que recebe informações vindas da pele e das mucosas quando recebem carícias, beijos, mordidas e que reage a elas. O cérebro é nosso maior órgão sexual, que pode ser estimulado diretamente de várias formas, com conversas sociais sobre um livro, um filme, ou obscenas mesmo, frases feitas para apimentar os sentidos. Como acontece em relação a qualquer outra zona erógena, cada um tem sua maneira de reagir ao estímulo provocado em nosso cérebro.