Preservativo, condon, camisa de Vênus , camisinha…, são vários nomes para esta parceira fundamental e frequentemente tão incompreendida.

A camisinha  é fundamental pela segurança que oferece quando  se trata de sexo  com pênis (também conhecido na intimidade por pinto, Zé Pinto, bilau, caralho, etc…)

Segurança porque é 100% eficiente para evitar uma gravidez não planejada e para evitar  DST´s (doenças sexualmente transmissíveis), lembrando que DST´s  são transmitidas em via de mão dupla: tanto de um pênis para uma vagina ou ânus, quanto de uma vagina ou ânus para um pênis.

É incompreendida porque a maioria desconhece os avanços da tecnologia, não sabe usar direito e tem vergonha de perguntar.

Os tempos mudaram

Para começar: a camisinha de hoje é um produto totalmente diferente da época em que eram compradas em pharmácia com “ph” e nem os cientistas imaginavam algo parecido com internet.  De lá pra cá, foram desenvolvidos diferentes compostos sintéticos que não “roubam” nem afetam a sensibilidade do contato com o pinto, com a vagina ou com o ânus. Várias delas já vêm devidamente lubrificadas para facilitar a colocação e a penetração. A evolução no design também foi grande: além de existirem modelos para qualquer  tipo e tamanho de pênis, foram desenvolvidos modelos com textura para aumentar a sensibilidade (e o prazer) da vagina e do ânus. Algumas têm até mesmo abas especiais para estimular simultaneamente  o clitóris durante o ato sexual.  Existem ainda modelos  fosforescentes para quem tem dificuldade de localização no escuro e/ ou para fãs de Star Wars.

Então, para deixar de vez o preconceito de lado, siga essas dicas importantes para assegurar a máxima eficiência de proteção e prazer.

– Não transforme o ato de colocar a camisinha num exercício chato de lição de casa, nem num ato de vergonha e constrangimento. Deve ser um ato natural, melhor ainda se for transformado em mais uma atividade a dois, aumentando a intimidade e a excitação.

– É pra ser colocada a partir da cabeça, desenrolando pouco a pouco.  Lembre-se de que você ou ela devem segurar a ponta com o indicar e o polegar, de forma a deixar um espaço que possa receber o esperma: sem pressão, sem incômodos.

Seja versátil

– Experimente vários tipos de camisinha para encontrar o tipo e o tamanho que melhor vestem o seu “rapaz” e que proporcionem mais prazer a sua parceira ou parceiro. Quanto a usar modelos de um tamanho maior do o que o seu:  este truque banal  para  causar uma boa impressão inicial costuma ser descoberto rapidamente e gerar um efeito negativo muito maior (e talvez permanente),  fechando as portas do prazer, literalmente. Veja algumas sugestões de Miss Scarlet.

– Em matéria de sexo, tudo é uma questão de tempo e com a camisinha é assim também. Não adianta colocar antes. Camisinha é para ser colocada no momento das preliminares, de preferência antes do pênis atingir o volume máximo de excitação.

Atenção aos mitos

Muitos gostam de fazer uma penetração de “reconhecimento” e só colocar a camisinha pouco antes da ejaculação principal. Errado, totalmente errado. Primeiramente, porque é muito mais difícil colocar a camisinha quando o pau já está num ponto avançado de excitação. Segundo, porque, depois de colocar o pênis diretamente em contato com a vagina e o ânus,  obviamente não se pode esperar quase nada no quesito segurança. É como colocar tranca depois da casa ter sido assaltada. Além disso, muitas vezes o pênis libera um pouco de esperma antes mesmo  do grande prazer jorrar, e isto pode ser suficiente para que algum espermatozoide mais ativo cumpra sua missão nem sempre aguardada e bem-vinda.

– Sexo é bom e cada ato sexual deve ser sempre uma experiência única.

Portanto, nada de economia: não invente de usar a mesma camisinha 2 vezes, nem que seja logo em seguida. Aliás, para maior segurança, após atingir o orgasmo, a camisinha deve ser retirada antes que o pau relaxe totalmente, voltando ao volume inicial, pois nesta situação também pode haver um escape de esperma que, previsivelmente,  pode desencadear aquelas consequências não esperadas a que já nos referimos.

– Importante lembrar para os adeptos do sexo anal, homens  e mulheres (sim, elas existem),  que o ânus possui algumas defesas naturais para a matéria que sai (que não funcionam bem para as matérias que entram). Da mesma forma, pintos e vaginas não possuem defesas naturais para ter contato com o ânus. Por esta razão, a camisinha é importante  para a manter a “saúde “ e bem estar de todos, inclusive de casais monogâmicos(de ambos os sexos) que gostem de praticar esta modalidade.

Sem desculpas

Então, aquelas desculpas antigas de “não chupar bala com embalagem” ou de sexo “livre e natural”, não fazem mais sentido diante da evolução tecnológica de um lado,  e  do perigo real e permanente de contaminação por  DST´s, de outro. Quem gosta, cuida. Nenhum homem, rapaz ou menino precisa ter vergonha de usar, nenhuma parceira ou parceiro deve ter vergonha de exigir.

Pelas características de praticidade, conforto e segurança, a camisinha é o meio mais eficiente de fazer sexo com prazer, livremente e sem encanações,  evitando  efeitos colaterais graves ou indesejados. Miss Scarlet tem uma coleção incrível de camisinhas para toda e qualquer ocasião. Conheça.